Posts Tagged ‘música francesa’

h1

Descubra música francesa não-cafona vol.3

août 26, 2011

Essa é pra galera que vem pra cá ler os posts em português.
Vocês já conhecem a (falida) coluna do « Descubra música francesa não-cafona », então, com vocês, mais uma edição.

Dessa vez vou apresentar um grupo que ADORO, com vozes lindas, cantoras lindas, estilo tudo que eu mais gosto, clips muito massa… enfim. É com certeza uma das minahs bandas preferidas do momento.

Elas se chamam Brigitte. O Myspace delas é aqui no link. Logo quando entre por lá, vai tocar a música que tá nos rádios agora, que é Oh la la. É bem legal, pra variar, o clip é super bem feito… Mas… não é minha preferida.

Minha preferida é Ma Benz, ou Battez-vous. Ainda não sei… Fica aqui o duelo:

Essa última, chamada My Benz, é uma reprise de um grupo de Rap francês chamado NTM. Pra quem gosta de rap (NOT!) o link pra versão original está aqui.

Eu sempre achei engraçado a diferença entre rap brasileiro e rap francês… assim, as vozes, os assuntos… não sou fã de rap não, mas quando vejo os raps famosos daqui qua falam de vales, de carros, de poesia, tendo a achá-los menos violentos que os raps do Brasil… mas bom… quem sou eu pra opinar de um assunto que mal conheço 🙂

E aí? legal esse Brigitte, né? Vai dizer: fizeram milagre com a música original… não?

h1

Le Festival de Connes

mai 15, 2010

Le festival de connes
Elle sont toutes blondes
elle sont toutes bonnes
c’est toutes des bombes en silicones
hallucinant dans le cine y disent que je suis mort
ma dulcinée n’est pas d’accord
c’est le premier rôles dans le scénario
elle c’est l’idole moi le salaud

je ferait pas de mal a une moche
mes air de mal c’est pour le cinoche
sous ma grande gueule c’est du bidon
je signe sur des feuilles pour pas un rond

Pourtant je roule des mécanique
c’est fou le nombre de filles fric
elle sont toutes bonnes dans ce festival
c’est toutes des bombes du genre pas mal
pas mal du tout même

sauve qui peut ça vaut pas le coup d’accord
je me suis guider pour pas un clou
mais je me dis ni vu ni connus
c’est vrai qu’a canne c’est très cul cul
c’est vrai qu’a canne je suis le roi des cons
c’est vrai mais … c’est quand même bien

Il bosse bien, ce M, non? 🙂

h1

Womanizer, improved

avril 15, 2009

Ou mais dicas musicais « frenchies »

Voltando da Côte d’Azur tempo de M*** na costa atlântica, básico. Não entendo como é possível preferir o oceano ao Mediterrâneo, mas anyway… Voltei.

E vou aproveitar os comentários daquele post sobre música francesa pra dividir com vocês o (nem tão) novo queridinho do meu iPod. O nome dele é Sliimy, e ele é de St Étienne. Meio Mika, meio Prince, totalmente melhor do que os dois juntos!

Essa é a fofinha do momento, e logo abaixo, a versão dele de Womanizer (mmmmuuuiitoo melhor de que a da Lilly Allen!) que foi o motivo de todo o sussesso do garoto.

E aí? Vai pro iPod, ou não vai?

h1

Descubra música francesa não-cafona

décembre 1, 2008

Learn FrenchAntes que a galera aqui da França caia matando: eu não estou com o intúito de apresentar uma lista « consensuelle » que possa ser representativa de todo um gênero musical! Claro que não. Mas depois de ter dado aula em escola de idiomas, de ter conversado com brasileiros francófilos (existe isso?), desses que « A-DO-RAM » a França/a língua francesa, dá sempre uma dózinha perceber que a cultura musical se resume em La Vie En Rose.

Então vou submeter uma listinha de sugestões pessoais (e, com isso, polêmica) para quem quiser abrir um pouco o repertório. Não estão em ordem de preferência nem nada, e quem quiser adicionar títulos, be my guest.

Com vocês, lá vai uma série, com letras fáceis de entender:

– Au Suivant, reprise de M do clássico de Jacques Brel (escute o CD com essa faixa aqui)… Aliás, com M, não tem muito como se decepcionar

Ta Douleur, de Camille

Voilà, Jeanne Cherhal

T’es Beau (cuidado que o vídeo não ajuda) ou Tita (meio bossinha, mas não achei link) de Pauline Croze

Alguma do Tété, como Fils De Cham, ou Love Love Love (tão nessa lista do link)

Tout Petit, de Tarmac

Pour un Oui, POur un Non, de Louise Attaque (tá, essa é velha, mas é um clássico!)

Ulysse, de Ridan (vai que agrada?…)

– Alguma do Renan Luce, como Monsieur Marcel ou La Lettre

– Pra quem gosta de um reggaezinho : Comme un Océan de Les Fatals Piquard, ou Tryo com Toi et Moi ou qualquer outra (l’Hymne de Nos Campagnes, gostando ou não, já virou cult!)

– Vanessa paradis (a autora do que acabou virando « Vou de Taxi ») que tá bem legal no CD novo

J’traine des Pieds, Olivia Ruiz

B-B Baise-Moi, de Anais (ou outra, não soube escolher…)

Je les veux toutes, de Thomas Dutronc (tá bom, essa pode parecer cafona… mas a letra é bem feitinha)

– Pra citar o que eu realmente adoro, não poderia faltar Emilie Simon! Tente Désert, ou Fleur de Saison, ou sua maaaaaravilhosa versão de I Wanna Be Your Dog (oops, essa é em inglês…), ou…! Vix, poderia pasar horas.

– Emily Loizeau, Je Suis Jalouse.

L’indécision ou Tout Va Pour Le Mieux (muuuito fácil de entender), de Da Silva

Sur La Route de De Palmas (aff, velha tb, mas tá bom)

Gente… cansei… quem sabe eu mando outra se interessar uma galera. E se você ficou decepcionado porque eu tirei La Vie En Rose pra Coitada, fique com uma versão que ARRASA!

Ah, PS: eu sei que pra muitos, música francesa tb é sinônimo de Rap, mas por aqui dá indigestão, me perdoem a penúria nessa lista.