Posts Tagged ‘cultura’

h1

Festival Paulínia de Cinema

juillet 15, 2009

Antes de tudo: Não tenho pretenção de fazer papel de crítica de cinema, porque seria uma fraude.

Desde que cheguei no Brasil, andei indo praticamente todo dia a Paulínia pra ver algum filme de festival. (Antes de pensarem que sou uma sem noção anti-ecológica nojenta, vou adiantando que Campinas é do ladinho de Paulínia). Os filmes são apresentados por Marina Person, que sempre tenta colocar um pouco de bom humor no discurso repetitivíssimo de abertura de cada um. Nem sempre com sucesso, mas juro que entendo o desafio.
Foi num desses discursos que vi como uma platéia é influenciável. No primeiro dia, ela, que já devia estar de saco cheio de ver as mesmas vinhetas de abertura 20 vezes, comentou que a tal vinheta do festival (imaginem uma animação em 3D bem meia boca) tinha sido elogiada por um dos produtores dos filmes em cartaz. Ele tinha dito que o trabalho tinha ficado com cara de « Hollywood ». Cafona, né? Mas enfim, foi o que o cara disse, e como ele é produtor, todo mundo tem de fazer cara que acha legal ver iniciativas nacionais serem comparadas por baixo a eventos norte-americanos.

Depois do discurso, apagaram-se as luzes, e depois dos comerciais que colocam pão na mesa, rolou a vinheta. A galera toda bateu palmas, e teve até uma peruona lá no fundo que gritou um « Bárbado!!! »

No segundo dia, Marina Person teve o bom gosto de não repetir o comentário, até porque o discurso de abertura já dava uma overdose de repetição sozinho. Depois dele, apagaram-se novamente as luzes, e passou de novo a vinheta. Pergunta, se alguém achou bárbaro. Claro que não, né! Até porque, a vinheta era mesmo meia boca!

Que mais teve, de engraçado? Ah, a atriz Sandra Corveloni, que foi homenageada em Cannes com o prêmio de melhor atriz com o filme Linha De Passe, de Walter Salles e Daniela Thomas, recebeu um trofeuzinho « Menina de Ouro » do festival. Eu pessoalmente não vi o filme, mas que eu vi que ela derrubou o troféu no chão durante o filme, isso eu vi! Rará! No meio do filme, um puta barulhão (deve ser maciça, a estatueta). Eu, de cima do camarote, dou uma olhada rápida na sala, e vejo ela, de mansinho, recolhendo o troféu do chão, checando se não quebrou! Sorte que ninguém percebeu 🙂

Pra terminar, vou dar umas dicas do que está na moda em matéria de filme e festival: primeiro, inclua no seu filme uma cena filmada do banco de trás de um carro em movimento. Se realmente não der, filme as personagens do banco da frente. O que você quiser, mas filme dentro do carro. Super na moda: só um curta deixou de fazer até agora. 🙂

Outra, é trazer o máximo de gente possível ao palco na hora da apresentação, mesmo que não seja pra dizer nada. Também super na moda. No hall de entrada, tem um monte de gente vestidas como pessoas normais, e, de repente, uma ou duas destoando em vestido querendo ser de gala; você pensa: essa aí vai subir ao palco em algum momento. E vai mesmo.

Por fim, e essa não é ironia, é organisar um super evento desses de graça. A entrada é livre, e isso é muito legal. Só chegar. A sala é tão enorme, e as entradas tão numerosas, que não junta fila, tudo super agradável. Quem estiver por perto, vale muito a pena!

Festival Paulinia de Cinema no PertedetempsSó quero morrer por não ter ido na festa de abertura!!! No vídeo pareceu ser bem legal!

h1

Top 5 it is, then!

janvier 5, 2009

Moda é moda até na internet, né? E eu aqui, brincando de aderir! Esse post vai acabar indo no embalo daqueles programas de TV mala de fim do ano que ficam recapitulando coisas que já sabemos que aconteceu.. só que pelo menos, aqui, vocês não tinham como saber.

TOP 5 viagens 2008:

Retrospectiva de 5 entre milhões de lugares legais para se ver pelo mundo, vistas por meus olhos. Não são as viagens mais legais, ou coisa assim, mas as 5 viajens que marcaram meu ano 2008.

5- Rio! rio par Maryparfait

tive direito a uma escapadinha pelo Rio na época do Carnaval. Essa cidade ainda é uma incógita pra mim… mas quero eu que isso não dure muito. E eu sei que essa minha foto tá suuuper clichê, mas é que foi tirada rapidão com o celular, mesmo…

4- Lisboa

Lisboa por MaryparfaitPorque nunca vou repetir suficientemente o quanto essa cidade é o máximo. Foi O achado de 2008, porque não conhecia direito antes. Recomendo muito a todos que sonham visitar lugares da Europa e considerariam fugir dos clichês Paris-Londres-Roma (tenho fé em vcs, U can do it!!)

Alvaro Siza, por Maryparfait Lisboa, por Maryparfait Marquês de Pombal por maryparfait

Ah, e pra não perder a piada, alguém lembra da campanha de aniversário dos 450 anos de São Paulo? Então.. olhem só a idéia brilhante que encontrei na terra de nossos amigos purtuguesech:

Acho que não entenderam que o coraçãozinho era SP de São Paulo...

Acho que não entenderam que o coraçãozinho era SP de São Paulo...

3- Marrocos

não use sem avisar.

Tá, eu sei que não vale: Marrocos é um país inteiro. Mas já que que fixa as regras aqui sou eu, e que eu não lembro os nomes exato das cidades que visitei, resolvi deixar Marrocos mesmo. Deal with it.

O que eu queria dizer sobre Marrocos, é que sim, Marrakesh é linda, sim, tem passeio de camelo e tatoo de hena, mas o que me marcou foi além do Atlas, essas arquiteturas poéticas completamente utópicas que não constam em guia turístico:

visando uma estrela. Foto Maryparfait Espiral no deserto, maryparfait o céu representado na terra. foto Maryparfait

2- Madrid

Madrizz por Maryparfait

Porque essa cidade é muito gracinha! Baladas, repouso, cultura, urbanismo e arquiteturas interessantes. Que mais? Ah sim: festas e sol.

1- Stuttgart!!

Königstraße und Kunstmuseum, maryparfaitNão poderia faltar, porque essa cidade simplesmente foi minha casa o ano inteiro, né? O cubo de vidro é um museu muito bem realizado com exposições do jeito que eu gosto: contemporâneas, inusitadas, e internacionais. Lá no fundo, o bar rosa é o Waranga, meu preferido pela cidade.

h1

Sequelas do nomadismo

décembre 20, 2008

Em Marrocos, mars-08Em primeiro lugar, a falta do trema do título se deve à falta dessa opção do meu teclado alemão. Get used to it.

En segundo lugar, segura aí que esse vai ser longo…

Agora vai: o motivo do post de hoje, é que fui indicada/citada/chamada (sei lá como fala) para respoder/publicar/seguir (também não sei como fala) um MEME. A autora do pedido foi uma pessoa com que tem sido muito querida, e na hora sabia que iria responder positivo. Só um probleminha…. eu não sei o que é um meme… Reli 10 vezes a mensagem tentando interpretar possíveis erros de digitação: un même (comme un pareil), une mémé (vovozinha), um me-me, como eu-eu… Sei lá… Nada fazia sentido no contexto até que eu tive que aceitar que tá aí mais uma coisa em português que de tão óbvia ninguém se dá o trabalho de explicar… e que eu nunca ouvi na vida.

Tem milhaaaares de coisinhas assim. Eu sei que Read the rest of this entry ?

h1

O brasileiro e sua imagem na terra do ora-pois

novembre 24, 2008

Ainda não consegui definir o mensagem vinculada a este vídeo… Alguém?