Posts Tagged ‘cinema’

h1

Festival Paulínia de Cinema

juillet 15, 2009

Antes de tudo: Não tenho pretenção de fazer papel de crítica de cinema, porque seria uma fraude.

Desde que cheguei no Brasil, andei indo praticamente todo dia a Paulínia pra ver algum filme de festival. (Antes de pensarem que sou uma sem noção anti-ecológica nojenta, vou adiantando que Campinas é do ladinho de Paulínia). Os filmes são apresentados por Marina Person, que sempre tenta colocar um pouco de bom humor no discurso repetitivíssimo de abertura de cada um. Nem sempre com sucesso, mas juro que entendo o desafio.
Foi num desses discursos que vi como uma platéia é influenciável. No primeiro dia, ela, que já devia estar de saco cheio de ver as mesmas vinhetas de abertura 20 vezes, comentou que a tal vinheta do festival (imaginem uma animação em 3D bem meia boca) tinha sido elogiada por um dos produtores dos filmes em cartaz. Ele tinha dito que o trabalho tinha ficado com cara de « Hollywood ». Cafona, né? Mas enfim, foi o que o cara disse, e como ele é produtor, todo mundo tem de fazer cara que acha legal ver iniciativas nacionais serem comparadas por baixo a eventos norte-americanos.

Depois do discurso, apagaram-se as luzes, e depois dos comerciais que colocam pão na mesa, rolou a vinheta. A galera toda bateu palmas, e teve até uma peruona lá no fundo que gritou um « Bárbado!!! »

No segundo dia, Marina Person teve o bom gosto de não repetir o comentário, até porque o discurso de abertura já dava uma overdose de repetição sozinho. Depois dele, apagaram-se novamente as luzes, e passou de novo a vinheta. Pergunta, se alguém achou bárbaro. Claro que não, né! Até porque, a vinheta era mesmo meia boca!

Que mais teve, de engraçado? Ah, a atriz Sandra Corveloni, que foi homenageada em Cannes com o prêmio de melhor atriz com o filme Linha De Passe, de Walter Salles e Daniela Thomas, recebeu um trofeuzinho « Menina de Ouro » do festival. Eu pessoalmente não vi o filme, mas que eu vi que ela derrubou o troféu no chão durante o filme, isso eu vi! Rará! No meio do filme, um puta barulhão (deve ser maciça, a estatueta). Eu, de cima do camarote, dou uma olhada rápida na sala, e vejo ela, de mansinho, recolhendo o troféu do chão, checando se não quebrou! Sorte que ninguém percebeu 🙂

Pra terminar, vou dar umas dicas do que está na moda em matéria de filme e festival: primeiro, inclua no seu filme uma cena filmada do banco de trás de um carro em movimento. Se realmente não der, filme as personagens do banco da frente. O que você quiser, mas filme dentro do carro. Super na moda: só um curta deixou de fazer até agora. 🙂

Outra, é trazer o máximo de gente possível ao palco na hora da apresentação, mesmo que não seja pra dizer nada. Também super na moda. No hall de entrada, tem um monte de gente vestidas como pessoas normais, e, de repente, uma ou duas destoando em vestido querendo ser de gala; você pensa: essa aí vai subir ao palco em algum momento. E vai mesmo.

Por fim, e essa não é ironia, é organisar um super evento desses de graça. A entrada é livre, e isso é muito legal. Só chegar. A sala é tão enorme, e as entradas tão numerosas, que não junta fila, tudo super agradável. Quem estiver por perto, vale muito a pena!

Festival Paulinia de Cinema no PertedetempsSó quero morrer por não ter ido na festa de abertura!!! No vídeo pareceu ser bem legal!

h1

100ème post, en mode cinoche

mars 23, 2009

« Si on commençait par mourir? Après tu te réveilles dans un asile de vieux, en allant mieux de jour en jour. Alors on te met dehors sous prétexte de bonne santé et tu commences par toucher ta retraite. Ensuite, pour ton premier jour de travail, on te fait cadeau d’une montre en or. Tu travailles 40 ans jusqu’à ce que tu sois suffisamment jeune pour profiter de la fin de ta vie active. Tu vas de fêtes en fêtes, tu bois, tu baises, tu n’as pas de problèmes graves. Tu te prépare à faire des études universitaires. Puis c’est le collège, tu joues avec tes copains, sans aucune obligation jusqu’à devenir bébé. Les derniers 9 mois tu les passes flottant tranquille, avec chauffage central, room service etc… Et au final, tu quittes ce monde de merde dans un orgasme !!! »

Cette idée n’est pas nouvelle (d’ailleurs ce texte est tellement bateau qu’on ne saurait même plus retrouver l’auteur), et fut travaillée dans The Curious Case of Benjamin Button. Ok, ok, jusqu’ici, je ne réinvente pas la poudre. Mais pour ceux qui se sont toujours demandé COMMENT ils ont mis en forme le vieux-jeune homme du film, je vous propose de jeter un coup d’oeil sur ce site de Digital Domain… Allez-y, surtout si vous avez, comme moi, pensé qu’il s’agissait de maquillage…

image-31image-4image-5image-6